Tamirys Araújo.jpg

TAMIRYS ARAÚJO, Rio de Janeiro

Pintura

Mini bio

Tamirys Araujo investiga a pintura como repositório de camadas de memórias não vividas, dando vida ao que está entre a memória e a imaginação, despertando questões sobre o feminino e nossa relação com a natureza.

A artista possui pós-graduação em História da Arte e da Arquitetura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2018) e graduação em Artes Visuais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2014). E em 2013, cursou o BA Fine Art exchange na Chelsea College of Art, em Londres, onde deu início a sua pesquisa pictórica.

Nos últimos anos, participou de diversas exposições coletivas entre Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Londres. Em 2019, “Vivendo sob o fogo” no Centro Cultural da Justiça Federal, em 2018, ‘Indícios’, no Paço Imperial e o ‘XXV Salão Curitibano de Artes Visuais’, no Clube Curitibano, entre outras.

Texto sobre as obras selecionadas

Coleção de memórias não vividas

As pinturas apresentadas nesta exposição dão início a série ‘coleção de memórias não vividas’, ​Expedição I, II, III e IV​ são o começo da caminhada por entre a floresta de sentimentos e pensamentos exuberantes e selvagens do feminino. Junto com os ​Fragmentos​ que são detalhes desta expedição.

Em diálogo com a prática da pintura de paisagem, a artista une a observação direta da natureza e as experimentações constantes com o material no dia a dia do ateliê para explorar questões contemporâneas como a relação com a natureza, a construção de memórias e do feminino. Nas ​Expedições​ bem como nos ​Fragmentos de Memórias​ a pintura não segue a cor natural de cada elemento, ao invés disso cria uma explosão de cores e texturas que buscam seduzir o olhar do espectador para dentro da floresta, perdendo-se entre a representação e a abstração.

Desta forma, diferente do propósito inicial das pinturas de paisagens que buscavam documentar o desconhecido na natureza para fins científicos, as paisagens de Tamirys Araujo convidam a nos fascinar pelo selvagem imaginativo, a trilhar lugares ainda não visitados, memórias não vividas.

(Texto extraído do portfólio da artista)

 

Observação da organização:

Os trabalhos expostos na exposição virtual, podem sofrer alterações de tamanho para não ficarem prejudicados a visualização pela web.