Paula Queiroz.jpg

PAULA QUEIROZ, Rio de Janeiro

Pintura

SOBRE AS OBRAS

Do meu interesse na geometria surgiu a vontade de estudar e experimentar a prática com tiras, juntamente com a observação de Copacabana, onde moro há 5 anos. Desenvolvi um processo em que após pintar uma série de telas, eu as recorto em tiras e as entrelaço formando uma trama. Escolho utilizar cores vibrantes para espelhar a realidade frenética e enérgica do bairro, visível nos contrastes entre construções, transeuntes e natureza. Desfaço e refaço o entrelaçado diversas vezes para transformar as formas e reflexos em pequenos quadriláteros até alcançar a harmonia visual entre a paisagem urbana cheia de prédios, o mar, os reflexos do sol e a vista da praia.

MINI BIO

Influenciada pela caótica e turbulenta paisagem urbana de Copacabana, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha, a artista Paula Queiroz desenvolveu seu próprio processo artístico: depois de pintar uma série de telas, ela as corta em tiras e as entrelaça, formando uma trama. Paula recria as formas de suas composições e peças, de forma casual, com as figuras e cores que surgem da interação entre as tiras. Ela relaciona a desordem e o caos urbano com as belezas naturais das praias e seus arredores. Dos contrastes de uma metrópole, composta de edifícios, janelas e construções, ela é capaz de expressar, de forma harmoniosa e às vezes perturbadora, sentimentos de paz, alegria e segurança que dizem respeito, de forma lúdica, às diferenças das grandes cidades.

Estuda na Escola de Artes Visuais, no Parque Lage desde 2016 e concluiu em 2021 MBA em História da Arte pela Universidade Cândido Mendes. Fez residência artística no ateliê de Charles Watson em 2017. Participa do Coletivo Contemporâneos e do Coletivo BB Arte no Espaço BB. Está presente na Exposição Coletiva da Eixo Arte, março 2021, na Arte Laguna Prize 2020/2021 e participa da Jackson’s Painting Prize 2021.

Sua obra dialoga entre neoplasticismo, construtivismo, concretismo e arte óptica e tem Piet Mondrian, Wassily Kandinsky, Kazimir Malevich, Victor Vasarely, Cruz-Díez, Bridget Riley, Jesús Rafael Soto, Ivan Serpa, Almir Mavignier, Abraham Palatnik, Waldemar Cordeiro, Lygia Clark e Lígia Pape como as principais referências.

(Texto extraído do portfólio do artista)

 

Observação da organização:

Os trabalhos expostos na exposição virtual, podem sofrer alterações de tamanho para não ficarem prejudicados a visualização pela web.