Odette Boudet.jpg

ODETTE BOUDET, Portugal

Pintura

Inércia

As seis pinturas apresentadas na Coletiva EIXO 2021 sāo parte de um trabalho que desenvolvo com o tema da mala, em estudo desde o final de 2019. A figura da mala se mostra em espaços interiores que sugerem cômodos de uma casa. No momento, nada acontece com este personagem que se liga a histórias por meio dos títulos atribuídos aos trabalhos em séries. Na série Penumbra, por trás das imagens em primeiro plano, se vê um fundo escuro sombreado transparente, resquício de um underpainting, técnica presente na história da pintura ocidental. O recorte da imagem e o seu enquadramento em primeiro plano, aproxima o espectador das obras. Matizes amarelos, alaranjados, verdes e vermelhos configuram um objeto. O que esta mala, que descansa sobre uma cadeira ou espreita à beira de uma janela, esconderia? O termo do título da série Penumbra é definido como ponto de transição da luz para a sombra. O estado de incompletude da iluminação. Mas nem sempre as palavras conseguem desvelar a imagem e as sensações que existem por trás dela. As malas vāo surgindo em outros cômodos da casa, seja “Na banheira” ou “Sobre o armário” guarda-roupa, com a sua função original descaracterizada. Transportar roupas e objetos em viagem nāo é mesmo o objetivo destes personagens. Por meio de experimentações em cromatismos, texturas e transparências, os trabalhos têm em comum títulos e séries que falam do desejo de movimento. Sāo imagens de uma pintura que remete à vida, que no momento está parada, suspensa. Muitas vezes palavras atravessam os significados presentes na memória afetiva de quem olha. Quando coloco o título na pintura “Para Benjamin, o Walter”, faço uma referência ao filósofo que deixou uma mala com escritos inacabados sobre as “passagens de Paris”, ao se suicidar quando se viu encurralado pelos nazistas. O ambiente retratado na pintura tem a cor da carne de um objeto que quer ser humano. Mas isso é apenas uma das histórias que estão por trás dos conceitos possíveis que as malas carregam, apesar de sua condição de inércia, ou imobilidade. Espero que o olhar de quem vê possa conduzir esta mala novamente para sua trajetória, se deslocando e guardando aquilo que é mais significativo em sua imaginação.

Odette Boudet

Mini bio

Odette Boudet é artista visual natural do Rio de Janeiro. Vive e trabalha entre Brasil e Portugal desde 2018. Formada em cinema, iniciou seus estudos em pintura em 2011, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Frequentou a Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro, entre 2016 e 2017. É aluna do mestrado em Artes Visuais na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. No Brasil, realizou as exposições no Espaço de Moda Lilás, em Armação dos Búzios-RJ (2015), Hostel Contemporâneo - Botafogo-RJ, com curadoria de Isabel Portela (2016) e participou do II Festival de Arte Contemporânea de Rio das Ostras-RJ (2019). Em Portugal, participou de exposicões na galeria Espaço Q Quadra Soltas -Porto, Museu do Vinho - São João da Pesqueira, Casa de Cultura - Paredes (2019) e também em oMuseu da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e XXXIV Exposiçāo Coletiva dos Sócios da Cooperativa Árvore - Porto (2020). Expõe em ambiente virtual na Coletiva EIXO 2020, Niterói-RJ. Seu interesse atual se concentra na memória afetiva dos objetos, sua imagem e movimentos migratórios.

(Texto extraído do portfólio da artista)

 

Observação da organização:

Os trabalhos expostos na exposição virtual, podem sofrer alterações de tamanho para não ficarem prejudicados a visualização pela web.