Muriel Paraboni.jpg

MURIEL PARABONI, Rio Grande do Sul

Fotografia

SOBRE OS TRABALHOS

Tentar dizer, ou antes de tudo

Três pássaros em linha, replicados à exaustão. A montanha digital que se eleva e então escorre, translúcida como tinta. O horizonte nu, despojado de quaisquer adornos, exceto a linha e a cor. Seja qual for o caso e a intenção, tudo é resultado de um diálogo entre suportes. A fotografia pode vir antes ou depois, mas às vezes é o vídeo que dá o tom. Nem tudo é imagem, nem tudo é processo, a pintura está em todo lugar e o lugar por vezes se desloca para a tela, matéria bruta para expressar o indizível. De fato, o recorte e a colagem, a sobreposição em camadas, a repetição e os campos de cor são alguns dos procedimentos que se deixam voluntariamente perceber. É por meio desse jogo, ou alternância constante de estados, que as obras enfim se estabelecem no espaço, suas temporalidades suspensas.

Essa suspensão também define os limites entre a figura e sua abstração, em desvinculo de qualquer obrigatoriedade com a representação da realidade da qual foi extraída. Tal procedimento na maioria das vezes cria um deslocamento do tema figurado a uma dimensão indeterminada, metafísica talvez. É uma outra natureza que se presentifica, mais próxima, mais íntima, a fagulha de uma dúvida, de uma sensação. O alvorecer que queima, o entardecer que lamenta. O céu que se abre e se multiplica na modulação de cores geométricas, somos livres afinal? Quem sabe além do horizonte, lá onde ele perde a cor e conhece a própria aura, sua nobre escala de tons. Seja como for, é no acúmulo dos gestos, no repetir e variar dos padrões, na evidência da linguagem em que são concebidas que essas obras respiram. E parecem expressar que, antes de tudo, ao tentar dizer, já se faz muito.

Muriel Paraboni | Artista

MINI BIO

Muriel Paraboni é artista multimídia. Formado em artes visuais e cinema, com mestrado no campo da Arte e Tecnologia, sua produção envolve suportes como vídeo e cinema, instalação, fotografia, pintura e objeto, os quais surgem muitas vezes combinados em propostas ambientais e sensoriais. Vem expondo regularmente, em mostras individuais e coletivas, tanto no Brasil como no exterior desde 2010. Seus filmes e vídeos têm sido exibidos em festivais, museus e galerias em mais de 20 países, tais como Estados Unidos, Inglaterra, Itália, França, Alemanha, Portugal, México e Argentina, recebendo diversos prêmios.

Observação da organização:

Os trabalhos expostos na exposição virtual, podem sofrer alterações de tamanho para não ficarem prejudicados a visualização pela web.