Miguel Barros.jpg

MIGUEL BARROS, Canadá

Pintura

 

Projecto – “Oceanos Plastificados”

Este é um projecto composto por uma colecção de 31 quadros pintados a óleo sobre material de emergency blankets que são usados para proteger vitimas em situações de urgência e acidentes

Depois de pintados foram plastificados e cozidos à linha entre si, e por sua vez, as plastificações pintadas a óleo na sua superfície utilizando

utilizando colagens de material pintado a óleo! 

Este projeto Oceanos Plastificados funciona como um catalisador para a consciencialização sobre a sustentabilidade das águas dos mares e de todas as suas espécies e seus habitats.

Nas profundezas e superfícies dos oceanos, o resultado da poluição transformou-se num véu mortal que cobre as águas e os fundos mais abissais dos oceanos, com plásticos, borracha, metal, venenos tóxicos e todo o tipo de lixo que todos nós criamos para a nossa confortável vida contemporânea, e simplesmente descartamos o cuidado dos efeitos terríveis na Natureza e sem pensar nas consequências, não demonstramos o menor respeito para com o planeta e o futuro da sobrevivência da natureza, e de todos nós.

Estou realmente empenhado através do meu trabalho enquanto artista plástico, utilizar a pintura na divulgação deste flagelo universal da interação entre o ser humano e a natureza e as profundas consequências da causa-efeito devido à atividade humana.

Cada peça desta coleção de pintura representa um fragmento de um corpo de água materializado e criado para lembrar e alertar os espectadores da beleza que existe nesses ambientes e da necessidade de se agir com o cuidado de se preservar o ambiente.

Tento demonstrar na minha pintura a urgência de ações de cada um de nós neste assunto, que se bem tratado e respeitado é o que nos levará a ver novamente a pureza das águas e reverter os oceanos plenos de vida saudável, sendo isto uma obrigação individual do comportamento e compromisso pessoal para com o próximo, o planeta, e a vida!

Miguel Barros nasceu em Lisboa 1962, tripla nacionalidade, Luso-Angolano-Canadiano.

Formou-se no IADE, em Design e Arquitectura de Interiores no ano de 1984 em Portugal

Trabalhou em Design de Porcelanas na “Vista Alegre” depois de ter ganho o Concurso de Design em Portugal em 1984

Entre 1987/99, trabalhou numa instituição de recuperação de toxicómanos em Lisboa, tinha a seu cargo a responsabilidade de Atelier de Pintura/Desenho aplicado às terapias das artes interligadas à psiquiatria na interajuda da evolução de tratamento do doente.

Em 1975 foi viver para o Brasil e ainda jovem quando regressa a Portugal investe todo o seu tempo na sua formação e independência.

Cedo inicia as grandes viagens da sua vida, passou grandes temporadas na Índia, e durante vários anos foi o seu lugar de experiências e vida, e o fez despertar para o que sempre desejou, pintar.

O Oriente e África são sempre lugares recorrentes na sua vida e na sua pintura.

Em 2008 vai viver para África, Angola, onde viveu os últimos 6 anos da sua vida, tendo sido uma das experiências mais ricas e determinantes na sua caminha enquanto pessoa e artista plástico.

Em 2014, saiu de Angola e veio viver para Calgary, no Canadá, onde está desde inicio de 2014, e onde já se iniciou no processo de exploração de todos os cambiantes distintos dos outros lugares onde viveu.

A pintura de Miguel Barros, entre as harmonias e as dissonâncias, faz surgir da sua obra o espírito moderno do questionamento formal, a quebra do espelho fácil da realidade, substituído pela emergência de um “mundo interior”, colorido e de formas da alma que traduzem um olhar aguçado sobre a vida e sobre as coisas.

De ano para ano, Miguel Barros, mercê de uma entrega total à sua arte, a pintura, tem vindo a definir-se tanto pela necessária maturação da sua técnica, como pela feição caracterizadamente pessoal que consegue imprimir a todos os seus trabalhos. Essa conquista, em qualidade e sensibilidade plástica, foi-se tornando notória ao longo das inúmeras exposições em que participou, o que justifica o sucesso obtido, passando a ser uma excelente referência para todos nós.

A sua trajectória artística, mostra-nos com clareza uma ligação fundamental com a pintura. Todo o seu trabalho é como uma caligrafia do espírito, transmissão directa de reflexões, de sentimentos que pouco a pouco se transformaram em matéria, de pensamento plástico.

As suas obras adquirem uma extraordinária dimensão, para a consciência emotiva, criando um mundo de expressão, movimento e visualidade, onde as linguagens se encontram num místico e misterioso prazer.

Toda a sua obra confirma, expressivamente o seu talento e sobretudo a sua técnica, através de um estilo próprio, visão original das coisas, concebendo com toda a sua sensibilidade e criatividade, superfícies que só por si, falam e vivem. O que Miguel Barros nos propõe são ideias, pensamentos e conceitos plenos de paixão e energia, contundentes na sua construção e morfologia, uma forma de renovação da arte através de uma obra responsável levada com directrizes dirigidas a deveres artísticos. Observando as suas obras, encontramo-nos perante enigmas, fascínios, universos simbólicos para serem apreciados pela meditação.

Representado em várias e importantes colecções privadas e públicas e em diversos países, como Angola, Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Noruega, Alemanha, Itália, Suíça, Brasil, Canadá, Estados Unidos da América, Índia, Líbano, Moçambique, Suécia, Brasil, África do Sul, Bulgária, Hungria.

 

Observação da organização:

Os trabalhos expostos na exposição virtual, podem sofrer alterações de tamanho para não ficarem prejudicados a visualização pela web.