Laura Bonfá Burnier.jpg

LAURA BURNIER, Rio de Janeiro

“ Sem Escolhas Onde Habitar “   Laura Bonfá Burnier

 

Meu atelier é um laboratório onde as coisas acontecem a seu tempo. Tudo fica armazenado em estado de suspensão temporária, sob observação, até que se crie uma liga, um viés condutor, que os conecta, começando assim, um novo processo que vai tomando forma.

Nesse trabalho busco a inversão dos materiais. 

O que faz parte da estrutura da construção e que nunca aparece devido aos revestimentos, fica agora exposto, e recebe pintura acrílica e adorno.

Os fragmentos de revestimento para piso recebem pintura decorativa parecendo ser azulejos de parede dos anos 50/70. Essa dualidade entre o falso e verdadeiro tem a intensão de despertar o olhar do observador.

 Além dos quadros, tijolos viram esculturas de parede para dar visibilidade ao invisível da construção estrutural das edificaçōes.

BIOGRAFIA

 

Nascida no Rio de Janeiro, graduada pela EBA, RJ; cursou Arquitetura e Urbanismo na USU; cursos teóricos e práticos em várias mídias no Parque Lage; imersão no Procedência e Propriedade; workshops no Brasil e exterior.

Tem obra em fotografia no Museu de Arte do Rio, 2017, e trabalhos em galerias. Fez uma individual com instalação - site specific, no Campus da Universidade Estácio de Sá, em 2007; participa de coletivas e Feiras de Arte; foi selecionada para Salões em São Paulo, no MARP e no Arte Contemporânea Luiz Scaliotto.

 

 

Sou artista multimídia e meus interesses e pesquisas são sobre espaço arquitetônico, tempo e memória. Uso o desenho como modo de pensar; pintura como ilusão; site specific numa conversa com o espaço real; fotografia e vídeo para registros e atelier móvel.

Nesse momento de pandemia com as pessoas dentro de casa, fez com que muita reforma acontecesse e, no meu caminhar pelo bairro, recolhi alguns descartados das caçambas. Já tinha no atelier pedaços de azulejos brancos, também de descarte, onde pintei elementos decorativos referentes aos anos 60/70. Nessa conexão sobre o chassis de madeira, crio uma nova leitura e significado entre materiais básicos da construção e os descartados da demolição, que uma vez reunidos se tornam “uma nova construção”.

(Texto extraído do portfólio da artista)

 

Observação da organização:

Os trabalhos expostos na exposição virtual, podem sofrer alterações de tamanho para não ficarem prejudicados a visualização pela web.