JULIA PEREIRA

SOBRE O TRABALHO

Os retratos se realizam à partir da minha esfera pessoal de relações afetivas; as pessoas de laços mais estreitos, o que lembro delas e das situações em qual nos encontrávamos. Retratar aqueles mais íntimos é uma maneira de me aproximar e relacionar com eles de outra maneira. Às vezes mudo de ideia no caminho; a pintura começa sendo sobre alguém e termina sendo sobre outro. Me pergunto como preservar minha memória da pessoa retratada a cada segundo que penso sobre ela, enquanto tento traduzir isso através do gesto e da cor. Percebo que existe um vão entre a projeção da figura na cabeça e o caminho da paleta até a tela. Talvez por causa da inconsistência da memória e minha própria insatisfação, faço um quadro várias vezes até ‘dar certo’, até achar o que procuro. Busco retratar a verdade mas sinto que nunca vou alcançá-la integralmente já que o retrato é uma versão da realidade e que a pessoa lembrada, muitas vezes no momento presente, está sempre em processo de atualização em minha cabeça. 

MINI BIO

Julia Pereira (1991 São Paulo) é formada com Bacharel em Artes Visuais: Pintura, Gravura e Escultura pelo Centro Universitário Belas Artes São Paulo (2017/2), premiada como Melhor Aluna com bolsa integral de pós-graduação. Participou de exposições coletivas como: “1o Festival de Pintura” (Instituto de Artes UNESP, São Paulo 2018), “3a Mostra Belas Artes” (Galeria 13, São Paulo 2017), “Espaço do Olhar” (Instituto Tomie Ohtake, São Paulo 2016 e 2017), “Mostra Belas Artes” (Galeria 13, São Paulo 2015) e “O que vem de dentro” (Centro Com- partilhado de Criação, São Paulo 2015). Participou de curso de pintura com Paulo Pasta no Instituto Tomie Ohtake (2016-17), leitura de portfólio com Marcelo Amorim no Museu de Arte de Ribeirão Preto e atualmente realiza acompanhamento de pintura em grupo com Rodrigo Bivar.

 

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle