Hana Brener.jpg

HANA BRENER, Minas Gerais

Fotoperformance

Colher é substantivo feminino e verbo - tirar das árvores ou plantas; coletar; cultivar; utensílio composto por uma parte côncava e por um cabo.
A colher de pau, associada à comida, à cozinha, ao lar, às mães, avós, às mulheres. E como elas, condenada, taxada como anti-higiênica, suja.

Não meter a colher. Meter, a mulher. Comida.
Uma sociedade que nos quer sempre limpas, assépticas, artificiais. Sóbrias, obedientes. Carregar, cuidar - obrigada. Agradecer e calar. Queimar.

Querem o descartável, mas elas são força perene. Sempre estiveram, sempre estarão. Mulheres e colheres.

Do cerne do calor do fogo, resiste. Cuidado afeto família alimento comunidade em confronto à colonialidade sobre corpos e fazeres.
Corpo terra que sangra vermelho dor e gozo.

SOBRE A SÉRIE

BIOGRAFIA

Performer, arte-educadora, artista visual e bailarina. Bióloga pela UFV, pesquisando os entrelaçamentos entre Arte e Agroecologia. Atualmente integra o Coletivo Riacho, no qual desenvolve trabalhos nas interfaces dança/teatro/fotografia/performance/instalação. Suas investigações artísticas mergulham nas nuances do existir corpo na relação com símbolos, mitos e ritos de nossa cultura.

(Texto extraído do portfólio da artista)

 

Observação da organização:

Os trabalhos expostos na exposição virtual, podem sofrer alterações de tamanho para não ficarem prejudicados a visualização pela web.